Resenha: O garoto está de volta | Meg Cabot

Mal entendidos sempre são resolvidos

Não importa a distância

O tanto de tempo que passa

Uma hora as coisas se encaixam

E nessa história é assim 

Os anos se passaram, mágoas foram guardadas, mas o amor nunca foi esquecido e isso basta.

Agora que ele está de volta, o final feliz está próximo!

“Talvez exista realmente um lugar onde nossos sonhos virem realidade”

Sinopse: Um escândalo traz de volta à pequena cidade natal, à família e ao primeiro amor uma estrela do golfe. Reed Stewart pensou que todos os problemas de cidade pequena — incluindo um coração partido — haviam ficado para trás quando ele abandonou a microscópica Bloomville, Indiana, há dez anos para se tornar um rico e famoso profissional do golfe. Até um post na internet ter ressuscitado todas as suas inseguranças de adolescente. Becky Flowers investiu tempo e recursos para se tornar uma bem-sucedida profissional no ramo de realocação de idosos. Mas ela trabalhou ainda mais duro para esquecer que Reed Stewart sequer existia. Ela não tinha, absolutamente, a menor intenção de revê-lo, agora que ele voltou… até a família do garoto a contratar para ajudar na mudança dos pais.

#OpiniãoEuAmo: “O garoto está de volta” é aquele típico livro que te trás uma grande nostalgia. Li o “Garoto da casa ao lado” quando era adolescente (ou seja, faz bastante tempo).

Esse é o quarto livro da série Garotos, escrito pela Meg Cabot e lançado pela Galera Record. 

Nesse ela conta a história do Reed e da Becky que viveram um romance no passado, mas que deu tudo errado.

Os episódios durante a narrativa vão se resolvendo rápido, por ser um livro mais adolescente é bem tranquilinho.

Ele é todo narrado por emails e mensagens e por isso algumas passagens ficam bem engraçadas, mas também tem o lado ruim, senti um pouco de falta da narrativa “normal” de um livro. Parecia que ficava alguns buracos na história, a sensação é de que eu estava perdendo alguma coisa.

Eu achei legal também como o romance deles foi reconstruído no tempo certo e teve um foco voltado pra família do Reed que é bem sem noção as vezes (de um jeito divertido até).

Acho que é um livro ótimo pra curar ressaca, pra quem quer uma leitura mais leve e posso assim dizer: detox.

Ainda não superou meu preferido da Meg que é  “A garota americana”, mas gosto sempre de ler os romances dela.

>>Resenha: Victoria e o Patife 

Espero que tenham gostado da resenha e não deixa de contar nos comentários se já leram ou se animaram a ler.

Até breve!

Instagram: @blogeuamo

Twitter: @blogeuamo

Facebook: blogeuamo

Beijocas <3

#UmMundoDeHistórias