Precisava escrever sobre Cinquenta Tons

Eu realmente precisava escrever sobre Cinquenta Tons. Precisava colocar tudo pra fora cada palavra que está entalada aqui dentro.

Ontem estreou Cinquenta Tons de Liberdade e assim desperta aquela velha discussão de algo ser bom ou ruim do que a gente deve ou não deve gostar.

Minha história com esse livro começou em 2012, quando eu nem sabia ao certo do que se travava, apenas pedi de presente um romance que todo mundo estava lendo (na época eu fiquei sabendo através de pequenas notas no jornal).

E aquilo me transformou. Não sei te dizer ao certo porque carrego tanto amor por essa história que tanta gente julga mal sem ao menos conhecer. Não sei te explicar porque resolvi gravar em mim a minha paixão por essa história, só sei que aconteceu.

É assim como um namoro: a gente não sabe quando vai acontecer, não sabe o que vai dar, só deixa rolar e daqui a pouco você está tão envolvido que não tem como mais separar.

E eu me envolvi pelos detalhes, me envolvi pela história, pelo amor, pelos diversos sentimentos que me causava tanto de ódio como de ternura.

Eu realmente precisava escrever sobre Cinquenta Tons e dizer que não importa o que os outros falem, minha opinião não vai mudar.

O que me tira do sério é a frase “você não pode gostar disso”, cara você não pode me impor algo, me julgar e muito menos dizer do que posso gostar ou não. Eu respeito o seu direito de odiar, mas respeite o meu por amar.

Respeite o meu direito de falar o que eu quiser e da forma que eu quiser. Vou ouvir sua opinião, talvez discutir no bom sentido e pronto, acabou.

Livros é igual nariz ( por falta de palavra melhor), cada um tem seu gosto. Como dizia um velho sábio “não sou obrigada a nada” e convenhamos que seria muito chato se todo mundo gostasse das mesmas coisas.

E aposto que você tem algo que goste muito e outa pessoa não.

Cinquenta Tons chegou pra mim abrindo os caminhos, através dele eu voltei a ler frequentemente, antes eu lia 1 livro por ANO e agora, poxa vida são mais de 50!

Através dele que voltei a sonhar.

Ele despertou algo em mim que estava hibernando a muito tempo.

Se posso te desejar uma coisa na vida é que você tenha todos esses sentimentos com um livro, que ele possa te causar tudo ao mesmo tempo, fazer você virar um caos.

Que ele possa mudar sua vida, fazer seu coração acelerar. Não importa o gênero, o autor, o que importa é o que você sinta o que eu sinto ao ler Cinquenta Tons.

Ler um livro, escutar uma música, ver um filme é ter o direito de gostar ou não, mas sem julgamentos.

Era isso que eu precisava escrever.

Instagram: @blogeuamo

Twitter: @blogeuamo

Facebook: blogeuamo